Muito dificilmente alguém se arrepende de ter feito um intercâmbio fora do país. No entanto é comum escutar pessoas que já passaram por essa experiência falando que teriam feito algumas coisas diferentes. Ou então que se tivessem uma nova oportunidade de ir pra fora não teriam cometido os mesmos erros que cometeram da primeira vez. Esses são pensamentos frequentes entre ex-intercambistas. Conheça agora os maiores arrependimentos de quem já estudou fora.

Arrependimentos de quem já estudou fora: não sair da zona de conforto

Na lista dos maiores arrependimentos de quem já estudou fora essa é uma questão que quase sempre ocupa os primeiros lugares. Não sair da zona de conforto e ter medo de viver o novo é algo que fica martelando por muito tempo na cabeça de quem volta do exterior.

Por medo de sair do comodismo muitos intercambistas acabam optando por viver praticamente a mesma vida que tinham em seu países de origem. Só que em outro lugar. E uma vez lá passam a frequentar sempre os mesmos lugares e conviver sempre com as mesmas pessoas.

Arrependimentos de quem já estudou fora: passar pouco tempo com a host family

Durante o intercâmbio acontece tanta coisa que muitos dos que passam por essa experiência acabam não passando tanto tempo com as famílias que os acolhem (no caso dos intercambistas que optam por essa modalidade). Mas isso se aplica também para o caso daqueles que escolhem morar com colegas estrangeiros, por exemplo.

Esses pequenos momentos em casa com essas pessoas são tão bons quanto os passeios, viagens e encontros com os amigos do intercâmbio. E também geram algumas das melhores lembranças para o futuro. Quem cria laços mais fortes com essas famílias acabam mantendo contanto por muito mais tempo e se sentindo mais à vontade durante a estadia.

Arrependimentos de quem já estudou fora: pensar demais em casa e na família

Lógico que nossas raízes e nossa família são extremamente importantes para nós e para quem somos como pessoa. No entanto uma experiência fora do país serve para nos abrirmos para o que não conhecemos. E isso acontece quando  vivenciamos essas coisas na companhia de novas pessoas.

Ficar o tempo inteiro pensando em casa e nas pessoas que ficaram pode comprometer sua experiência. Afinal ficar comparando o tempo todo não é nada positivo. Nem pra você nem pra quem estiver convivendo contigo nesse período.

Arrependimentos de quem já estudou fora: não se esforçar o suficiente para aprender uma segunda língua

Não existe oportunidade melhor para aprender ou treinar um novo idioma que em um país que têm essa língua como materna. Muitos intercambistas viajam justamente para melhorar essas habilidades. Só que acabam voltando pra casa sem mostrar muitos avanços. E esse é justamente um dos maiores arrependimentos de quem já estudou fora.

É normal fazer amizades com pessoas da mesma nacionalidade. Mas se fechar em círculos só de brasileiros vai ser uma sentença de morte se você quiser realmente desenvolver o segundo idioma. Então é fundamental procurar fazer amizades com locais. E também com certeza você vai conhecer outros estudantes que não falam português.

Um intercâmbio é uma das melhores coisas na vida de quem sonha em conhecer o mundo. Mas quando você conseguir esse objetivo é melhor fazer valer a pena. Não dá pra se arrepender depois. Até porque nunca se sabe quando será o próximo. Quer aprender a como se preparar melhor para essa experiência e vivê-la com total intensidade? E sem deixar margem pra arrependimentos? Então procure o apoio de uma mentoria especializada.

Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), representa o Brasil na Delegação Brasileira de Jovens da ONU, recebeu proposta da NASA e atualmente trabalha como pesquisador em HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar uma oportunidade no exterior.

Leave a Reply