Fazer intercâmbio é um sonho que quase todo mundo tem, não é mesmo? Geralmente a pergunta mais comum na hora do planejamento é sobre o destino da viagem. Mas outra questão muito importante é o tipo de intercâmbio que será feito. Existem diversas maneiras de ir para fora e viver essa experiência. E isso depende de fatores como tempo e dinheiro. Mas você sabe qual é o tipo de intercâmbio ideal para você? Descubra com a gente agora:

Intercâmbio Acadêmico

Uma das formas mais tradicionais de fazer intercâmbio é através das universidades brasileiras e estrangeiras. No Brasil, tanto as instituições públicas como as privadas, contam com programas próprios de intercâmbio e parcerias com universidades de outros países. A partir dessas iniciativas é possível conseguir isenção em taxas de matrículas e até mesmo bolsas e auxílios financeiros.

Outro meio de conseguir uma bolsa é pesquisando nos editais das instituições de outros países sobre os seus programas de intercâmbio. E há ainda a chance de conseguir auxílio financeiro em outros programas. Um exemplo são as bolsas do Santander Universidades.

Trabalho no Exterior

Para quem trabalha em grandes empresas e multinacionais existem oportunidades para intercâmbio de trabalho (passar um tempo em outra filial da mesma empresa em outro país, por exemplo). E, no caso de pessoas formadas em cursos de alta demanda no exterior, principalmente nas áreas de TI e Saúde, ainda há possibilidades reais de conseguir empregos efetivos. Mas isso, claro, envolve burocracias que demandam tempo e paciência.

Intercâmbio Voluntário

tipo do intercâmbio

Fazer um projeto voluntário no exterior é uma forma mais econômica de viver um intercâmbio.

Essa é uma das formas mais econômicas de passar um tempo fora. E também, entre todas as opções, é a que menos exige fluência no idioma do país de destino. Uma das iniciativas mais conhecidas nesse âmbito é a Aiesec, organização jovem que promove intercâmbios sociais ao redor do mundo para pessoas de até 30 anos. É possível, por exemplo, dar aulas de português para crianças, ajudar idosos em asilos com atividades de recreação e trabalhar com mulheres vítimas de violência doméstica. E esses são só alguns dos muitos exemplos.

High School

Muito comum no Estados Unidos, é um tipo de intercâmbio que permite que estudantes estrangeiros de 15 a 19 anos façam parte do Ensino Médio em escolas privadas ou públicas de outro país. A duração dessa experiência gira em torno de 1 a 2 semestre. E o estudante geralmente fica hospedado na casa de uma família local vivendo como um membro dela. Canadá, Nova Zelândia, Inglaterra e Austrália são outros destinos populares. Um ponto positivo é que as matérias cursadas no exterior podem ser aproveitadas como créditos no Brasil.

Au Pair

Mais voltado para as mulheres, esse programa, que também é muito comum nos Estados Unidos, permite a ida de jovens que querem estudar um tempo fora do Brasil mas não tem um orçamento muito grande. Outros destinos populares são França, Holanda e Alemanha. A intercambista passa um tempo vivendo como babá com uma família local. Em troca recebe acomodação, alimentação e, em alguns casos, auxílio financeiro. É preciso atender algumas regras como saber dirigir, ter entre 18 e 26 anos (30 em alguns países) e já ter conhecimentos satisfatórios no idioma. E obviamente: tem que gostar muito de criança! Ou seja, se você não é uma pessoa muito paciente talvez esse não seja o melhor programa para você.

Pós Graduação

Esse é para quem já terminou a graduação e quer fazer um mestrado, doutorado ou especialização no exterior. Assim como na graduação existem vários editais espalhados em universidades do mundo inteiro. Alguns com bolsas realmente muito interessantes. Achar o programa ideal nesse caso envolve muita pesquisa e paciência mas vale a pena. Vale a pena checar, por exemplo, as bolsas do programa Erasmus Mundus.

Curso de Idiomas

Não poderia faltar uma das modalidades mais comuns de intercâmbio. Para quem já tem conhecimentos em uma segunda língua ou para quem ainda está iniciando nesse mundo, passar um tempo fora estudando outro idioma é a melhor maneira de conseguir a tão desejada fluência. Existem programas de diferentes preços e durações. Ao contrário de algumas opções acima, não é tão fácil achar bolsas de estudo nessa modalidade.

E aí? Conseguiu identificar qual é o tipo de intercâmbio que mais se encaixa com o seu perfil e com o que você está procurando? Nesses momentos de dúvida uma boa ideia é contar com o apoio de uma mentoria especializada para te ajudar a tomar essa decisão com clareza.

Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), é embaixador da Youth Assembly no Brasil, recebeu proposta da NASA e é ex-fellow de HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar sua oportunidade no exterior.

Leave a Reply