Nos Estados Unidos é muito comum os estudantes já começarem suas vidas depois da faculdade com uma grande dívida com o governo. 44 milhões de americanos se enquadram nesse grupo. Isso equivale em valores brutos a cerca de 1,5 trilhões de dólares. É uma média de pouco mais de 17 mil dólares por pessoa. Há algumas décadas, uma instituição pública americana renomada custava cerca de 540 dólares por ano. Hoje esse valor passa dos 30 mil! E nas universidades privadas esses valores podem ser ainda maiores. E estamos falando aqui apenas de mensalidades, sem mencionar o custo de vida. Mas por que as universidades americanas são tão caras?

Alguns motivos que podem explicar esse crescimento dos preços são:

Alta demanda

A demanda por educação superior cresceu drasticamente no país desde os anos 80. E o que acontece quando a procura por uma coisa aumenta? Os preços sobem junto. Essa é a lei de mercado em sua forma mais pura.

Estrutura

As universidades americanas, especialmente as privadas, tem uma estrutura impressionante e sempre implantam melhorias para atender melhor o cotidiano dos seus alunos. Mas isso, claro, custa dinheiro. E essa conta reflete diretamente no valor das mensalidades.

Investimento do governo

Nos últimos anos o governo americano vem diminuindo os subsídios destinados a área da educação para aumentar os investimentos em outras áreas. Isso significa que, com menos dinheiro público entrando, as contas dessas universidades ainda precisam bater. Ou seja, essa diferença também impacta no valor das mensalidades estudantis.

Esportes

Os esportes são muito valorizados na cultura educacional americana. Isso por um lado é ótimo mas por outra cria uma cultura de supervalorização que tem consequências econômicas. As universidades americanas contam com times de vários esportes formados por estudantes que não pagam mensalidade. Ou seja, que conseguiram entrar na faculdade através de bolsas por excelência em esportes. Aqui a grande questão não é o mérito dessas bolsas, que são válidas, mas sim a quantidade delas. Mais uma vez: a conta precisa fechar. E se de um lado ela diminui, do outro ela precisa aumentar pra balancear a equação.

Mas calma que nem tudo está perdido para os brasileiros que sonham em estudar nos EUA. Por lá existem muitas oportunidades de bolsas para estudantes estrangeiros e também de trabalho remunerado on campus. E a melhor forma de conseguir uma dessas oportunidades é se preparando. Procure ajuda de uma mentoria especializada no assunto e corra atrás desse sonho.

 

 

 

 

 

 

 

 

Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), representa o Brasil na Delegação Brasileira de Jovens da ONU, recebeu proposta da NASA e atualmente trabalha como pesquisador em HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar uma oportunidade no exterior.

Leave a Reply