Uma grande dúvida de quem pensa em estudar nos EUA é na hora de  decidir entre estudar em uma universidade pública ou privada. Os dois tipos de faculdades oferecem muitos recursos e benefícios diferentes. O que acontece é que as instituições mais famosas do país, como Harvard, Yale, Princeton e Stanford, são todas privadas.

Então para quem não conhece muito, fica a impressão de que as instituições particulares do país são muito superiores. Mas não é bem assim! Tudo vai depender de quais as intenções do estudante em relação aos estudos e perspectiva de carreira. Para te ajudar com esse dilema, listamos as principais diferenças entre universidades públicas e privadas nos Estados Unidos. 

Custo

Essa é, inegavelmente, a maior diferença entre as universidades públicas e as privadas. Como as instituições públicas recebem verbas governamentais, elas são em geral mais baratas que as universidades privadas. Mas é importante lembrar: ao contrário do Brasil, isso não quer dizer que elas são gratuitas!

Por outro lado, também não dá pra dizer que estudar em uma instituição particular não valha o custo. Ter um diploma de uma faculdade privada de prestígio pode abrir tantas portas quanto o de uma pública. O custo não é sempre um indicador de qualidade.

Ou seja, nos Estados Unidos não tem essa de que as universidade públicas são mais respeitadas que as particulares, como acontece por aqui.

Tamanho

As universidades públicas são, em geral, maiores (em relação ao tamanho das turmas e número de alunos). É provável que esse detalhe interfira na forma como você vai lidar com as suas relações com as outras pessoas da sala.

Com as turmas menores das universidades privadas, você vai poder se envolver em discussões mais aprofundadas com seus professores. Além disso, vai ser mais fácil de conhecer e se relacionar com os seus colegas de classe.

Nas universidades públicas, com as turmas maiores, vai ficar mais difícil de se enturmar. Porém, mais pessoas também representam mais chances de conexões. Essas conexões podem ser importantes depois da formatura, seja para construir um bom networking, encontrar um bom emprego ou mesmo manter amizades.

Oferta de cursos

As instituições públicas têm a possibilidade de oferecer uma gama maior de cursos. Isso acontece, basicamente, porque as universidades privadas não têm corpos estudantis tão grandes para sustentar vários cursos de diferentes áreas. 

Só para você ter uma ideia, se a Occidental College (uma instituição particular norte-americana) oferecesse o mesmo número de graduações que a Universidade Estadual do Arizona, haveria duas pessoas em cada curso.

Intercâmbio

As instituições públicas geralmente têm poucas vagas disponibilizadas para estudantes internacionais que querem estudar nos EUA. Por outro lado, as universidades privadas costumam aceitar muito mais intercambistas em seu corpo estudantil.

Isso acontece porque, como estabelecimentos governamentais, as universidades públicas tendem a priorizar o espaço para os cidadãos norte-americanos. Em suma, elas procuram reverter os investimentos do governo para os próprios contribuintes. As privadas, como não têm essa obrigação, podem manejar mais livremente quem elas recebem.

Você sonha em estudar nos EUA? Então um dos primeiros passos que você deve tomar para realizar esse objetivo é identificar quais desses dois tipos de universidades se adequam melhor ao seu perfil. Com a nossa mentoria especializada esse processo de decisão vai ficar mais fácil. Faça agora mesmo o seu teste de perfil clicando aqui e junte-se ao nosso time de mentorados!  


Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), é embaixador da Youth Assembly no Brasil, recebeu proposta da NASA e é ex-fellow de HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar sua oportunidade no exterior.