O que fazer na primeira semana do intercâmbio?

O mais difícil do intercâmbio é chegar até o momento do embarque. Depois disso é só aproveitar a experiência. Mas como nem tudo é tão fácil assim, é necessário resolver uma série de questões práticas (e fundamentais!) quando finalmente chegamos ao nossos destino final. E o ideal é fazer isso o mais rápido possível. Confira agora o que fazer na primeira semana do intercâmbio para deixar o resto da sua experiência mais tranquila.

5 coisas para fazer na primeira semana do intercâmbio:

Moradia

Nem todo mundo já sai do Brasil com o local para morar definido. Alguns conseguem achar, até pela internet, pessoas para dividir acomodação, nativos alugando quartos ou menos apartamentos para morar sozinho.  No entanto, não são todos que têm a confiança de tomar uma decisão dessas sem ver o local ao vivo e a cores. Nesse caso, é fundamental fazer isso no primeiro ou segundo dia após a chegada. Reserve alguns dias em um hotel ou hostel para a sua chegada. Assim é possível achar pelo local ideal com a segurança de ter um lugar para ficar. Se você estiver indo morar em uma residência universitária as coisas já ficam um pouco mais fáceis. Mas da mesma maneira, é preciso fazer seu registro na moradia.

Conheça a cidade e o campus

A melhor maneira de não ficar perdido em um lugar novo é conhecendo-o. Então desbrave a sua nova cidade já nos seus primeiros dias. Ou pelo menos os caminhos que você mais terá que fazer no seu dia a dia: de casa para a faculdade, do curso de inglês para o local que você irá trabalhar, etc. Dessa forma você evita riscos de se perder e atrapalhar os seus compromissos da primeira semana.

Abra uma conta no banco

Esse é um dos itens mais indispensáveis da lista do que fazer na primeira semana do intercâmbio.  Sua vida se tornará muito mais fácil quando você fizer isso. Não é muito difícil abrir uma conta como estrangeiro em outro país se você estiver indo como estudante. E geralmente também não é caro: às taxas, se existentes, serão bem pequenas.

Para quem tiver indo com dinheiro em espécie, por exemplo, é uma tranquilidade saber que a sua grana está bem guardada e segura na sua conta no banco. E sem falar na praticidade de poder sacar dinheiro em qualquer lugar. Pesquise também pelos valores cobrados para transações internacionais.

Faça toda a parte burocrática de documentação

Essa parte é meio chata mas é necessária. Alguns países exigem documentos específicos de cadastro para estrangeiros. Na Inglaterra, por exemplo, é preciso fazer um registro na polícia local. Já em Portugal é obrigatório fazer uma espécie de “CPF” local conhecido como NIF. Cada país conta com suas próprias regras quanto a isso. Portanto pesquise sobre essas questões antes mesmo de viajar.

Carteira de estudante e recepção na universidade

Se você estiver indo para fazer graduação ou pós, saiba que a grande maioria das universidades mundo afora organizam uma semana de recepção para os alunos calouros e estrangeiros. É uma semana repleta de atividades para introduzir os novos estudantes à instituição. É a ocasião perfeita para conhecer novas pessoas e descobrir mais informações sobre o local que você vai estudar.

Muitas universidades também organizam programas de buddies, no qual estudantes locais se tornam “padrinhos” de estudantes de fora, ajudando com problemas do dia a dia. Sem falar que acabam se tornando ótimos amigos em potencial. Procure fazer também sua carteira de estudante local, que dá direito a vários benefícios interessantes.

E aí. Já sabe agora o que fazer na primeira semana do intercâmbio para começar sua experiência com o pé direito? Não é nada complicado, não é? Não tem segredo. Apenas tenha a coragem de ir atrás dessas coisas. Aí depois sim, você pode deixar a euforia do intercâmbio tomar conta e ir curtir sua nova vida. Para chegar no seu novo país se sentindo 100% preparado a melhor opção é contar com o apoio da nossa mentoria especializada. Faça agora mesmo o seu teste de perfil clicando aqui.

Rafael Cerqueira

Rafael Cerqueira

Jornalista de 26 anos que adora viajar. Baiano que já viveu em Minas, em São Paulo, em Portugal e na Argentina. Conhece 26 países e tem o sonho de conhecer muito mais. Acredita que o mundo é grande demais e o tempo muito curto pra ficarmos parados sempre no mesmo lugar.