6 razões para estudar na Suécia

Nós já falamos aqui de alguns motivos para você escolher fazer intercâmbio nas universidades escandinavas. No entanto, como cada país dessa região da Europa é único, trouxemos 6 razões para você estudar na Suécia! 

Desenvolver seu pensamento crítico

Mais do que te ensinar uma profissão, as universidades têm também que te ajudar a desenvolver seu pensamento crítico. Na maioria das instituições, porém, você não é ensinado(a) a pensar por si próprio, mas sim através da visão que seu professor te passa. Esse é o grande diferencial das universidades suecas: a estrutura do ensino permite que você pense de forma mais independente e criativa.

Dessa forma, você aprende a questionar não apenas o mundo acadêmico, mas também tudo o que está em volta, sem se apoiar em pré-concepções. Isso permite que você veja a sociedade e se pergunte: “tem como melhorar?”. Sendo assim, esse método é muito bom para desenvolver novas ideias e soluções para alguns problemas do planeta. Essa é uma das principais razões para a Suécia estar entre os países mais inovadores do mundo!

Ser desafiado

O maior pesadelo dos universitários é um curso ou uma disciplina muito difícil. É claro que a universidade tem que te desafiar, mas também deve ter um motivo para isso. As universidades da Suécia são desafiadoras, mas elas constroem esse estímulo para ter tornar o melhor que você pode ser, não apenas para te testar. 

Para isso, os cursos são focados no raciocínio, na racionalidade e, mais importante, na aplicação. Dessa forma, você não vai fazer apenas um curso para conseguir um diploma. Você vai ser instruído a como aplicar todo o conhecimento e o pensamento que desenvolveu enquanto estudou por lá! Isso vai ser muito importante para quando você se formar e for para o mercado de trabalho!

Estocolmo: a capital da Suécia é uma das cidades mais lindas da Europa.

Você vai estar muito envolvido(a) nas aulas

Um aluno sentado na sala de aula só para passar de ano é uma cena comum no mundo todo. Na Suécia, no entanto, essa situação já é um pouco diferente: como você é convidado(a) a aplicar o seu conhecimento, vai sempre estar envolvido(a) na aula. Os professores, por lá, vão sempre se importar se você não só está prestando atenção, como também vão querer que demonstre seu conhecimento e sua capacidade de usá-lo. 

Foco no desenvolvimento sustentável

Hoje em dia, uma das maiores preocupações mundiais são as mudanças climáticas e o desenvolvimento sustentável. E, na Suécia, isso é uma prioridade! O país é constantemente listado como um dos mais sustentáveis do mundo. Isso ocorre principalmente pelos avanços tecnológicos que a Suécia fez, muitos deles vindos das universidades de lá. O foco atualmente é a diminuição dos gases causadores do efeito estufa e do desenvolvimento de fontes de energia sustentável.

É fácil se candidatar a uma vaga

Para entrar em uma universidade sueca, você pode se candidatar pelo SweSAT, que é uma espécie da ENEM do país. Até pouco tempo atrás, intercambistas não pagavam nada para estudar na Suécia. No entanto, em 2010 o governo do país aprovou uma nova lei que alterou a estrutura de pagamento para estudantes internacionais de fora da União Europeia. Essa nova estrutura prevê que os estudantes estrangeiros devem pagar tanto mensalidades como taxas de matrícula e inscrição.

Apesar disso, a mudança foi acompanhada pela disponibilização de diversas bolsas que auxiliam a pagar essas taxas. As oportunidades de bolsas de estudo vêm na forma de isenção de pagamento para estudantes internacionais, com bolsas oferecidas pelo governo sueco e por universidades do país.

Se você já pensou em algum momento da sua vida em estudar na Suécia, invista neste sonho sem medo! E para começar a se preparar para esse momento, conte com a nossa mentoria especializada. Faça agora mesmo o seu teste de perfil clicando aqui e junte-se ao nosso time de mentorados!  

 

 

Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), é embaixador da Youth Assembly no Brasil, recebeu proposta da NASA e é ex-fellow de HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar sua oportunidade no exterior.