Nós já falamos por aqui que o Canadá tem se tornado um dos destinos mais desejados por intercambistas do mundo inteiro. Lembra que já listamos as melhores cidades para morar por lá? Uma delas era Montreal, que é a casa de uma das melhores universidades do país, a McGill University. Confira agora mais algumas informações sobre essa instituição.

Nasce uma universidade

A McGill University foi fundada oficialmente em 1821. A sua história, porém, vem de antes disso. Isso porque para atender aos pedidos por uma educação pública na região, a Royal Institution for the Advancement of Learning (Instituição Real para o Avanço da Aprendizagem) foi fundada em 1801, em Montreal, no Canadá. Desde então, a instituição é mantida pelo governo, com caráter público e universal.

Em 1813, o comerciante escocês James McGill faleceu. Ele deixou sua propriedade nos arredores da cidade e uma doação de 10 mil libras para a construção de uma faculdade. No testamento, ele nomeou a Royal Institution como receptora desses bens. 

A partir daí veio a Faculdade MCGill, com a fundação em 1829 da Faculdade de Medicina de Montreal, nas terras do falecido McGill. Em 1852, finalmente, a Royal Institution se fundiu com a Faculdade McGill, criando a McGill University como conhecemos hoje.

Desde então, a universidade se estabeleceu como uma instituição bastante tradicional. Seu lema é “Grandescunt aucta labore”, que em latim quer dizer “Pelo trabalho, todas as coisas se desenvolvem”. As cores da McGill são o branco e o escarlate, as mesmas da bandeira do Canadá.

Museu-Redpath

Museu Redpath, que pertence a McGill University.

Como a McGill University se organiza

A universidade se divide entre a Escola de Estudos Contínuos e o Escritório de Pós-Graduação e Pós-Doutorado. Da mesma forma, ela é composta por 10 faculdades: Ciências Agrárias e Ambientais, Artes, Odontologia, Educação, Engenharia, Direito, Administração, Medicina, Música e Ciências. 

Essas faculdades oferecem quase 300 cursos de graduação, mestrado e doutorado. A universidade também tem parceria com quatro hospitais de ensino que treinam mais de 1.000 profissionais de saúde no total.

Atualmente, cerca de 40 mil alunos estão matriculados na universidade, tanto nos cursos de graduação quanto de pós. Com esse corpo estudantil tão grande, a universidade recebe de braços abertos alunos de fora. Não por acaso é a instituição da América do Norte com o maior percentual de alunos internacionais!

Apesar de estar na província de Quebec, que tem o francês como língua oficial, a McGill usa o inglês como idioma principal. No entanto, os estudantes podem entregar os trabalhos acadêmicos em qualquer uma das línguas. Isso porque os professores, em geral, têm domínio em ambas.

Macdonald-Stewart-Library

Macdonald Stewart Library: uma das bibliotecas da universidade.

Uma história de reputação e influência

A McGill University está entre as 40 melhores universidades de todo mundo. No QS World University Rankings, por exemplo, ela aparece na posição de número #35 na tabela geral. No Canadá, ela fica atrás apenas da Universidade de Toronto.

Alguns alunos proeminentes da McGill incluem o músico Leonard Cohen; o ator William Shatner; a médica Maude Abbott; Carrie Derick; e o atual primeiro ministro canadense, Justin Trudeau. Até hoje, 12 prêmios Nobel já foram entregues para pessoas associadas à instituição, além de 3 prêmios Pulitzer.

McGill também é conhecida por ser um ambiente de bastante criação. O mecanismo de busca na internet, três esportes (futebol americano, hockey e basquete) e o acrílico foram inventados nas dependências da universidade. Além disso, a instituição pode se orgulhar da descoberta da possibilidade de divisão dos átomos, do primeiro mapa do córtex motor cerebral, e da criação da primeira célula sanguínea artificial!

Curtiu saber mais e ficar por dentro da McGill University? Nossa mentoria pode te ajudar a planejar seu intercâmbio e conquistar sua oportunidade fora do Brasil. Faça agora mesmo o seu teste de perfil clicando aqui e junte-se ao nosso time de mentorados!  


Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), é embaixador da Youth Assembly no Brasil, recebeu proposta da NASA e é ex-fellow de HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar sua oportunidade no exterior.