Seja para fazer faculdade ou um cursinho de idiomas, estudar na Europa é o sonho de muitas pessoas. Apesar disso, muita gente chega lá e comete alguns erros bobos, mas que acabam comprometendo negativamente a experiência. Para esse não ser o seu caso, separamos alguns desses erros para você não cometer!

Fazer amizade apenas com alunos do seu país de origem

Outros estudantes brasileiros podem ser companheiros reconfortantes quando estamos no exterior, especialmente quando a saudade começa a apertas e as diferenças culturais parecem mais fortes. Mas estender a mão e tentar fazer amizade com os alunos de onde você está é fundamental para realmente vivenciar um novo país. Assim, você vai se expor também a interessantes tradições culturais e curiosidades que apenas um nativo sabe. Essas amizades também são uma maneira de praticar o idioma com alguém que pode corrigir seus erros e sua pronúncia.

Comprar apenas marcas conhecidas

Muitas marcas e produtos que você ama aqui no Brasil provavelmente estão disponíveis em algum lugar do país em que você for estudar. Seja em uma loja especializada ou até mesmo em um supermercado normal, você acaba encontrando.

A facilidade da familiaridade é tentadora. Mas, sair e tentar fazer compras como um morador local pode provocar uma mudança positiva tanto no que você come quanto na maneira como você come. Muitos consumidores europeus priorizam lojas menores e mais especializadas. Dessa forma, você pode aprender muito sobre os fornecedores dos alimentos que está comprando.

Frequentar redes como Starbucks e McDonalds

Não importa se na Alemanha, no Japão, na Austrália ou na Argentina. Em qualquer lugar do mundo que você pedir um hambúrguer no McDonalds ou um macchiato de caramelo no Starbucks, o sabor será exatamente igual. Qual é a graça disso? Um dos maiores prazeres em qualquer viagem é aproveitar para descobrir novos sabores. Então qual é o sentido de desperdiçar isso pra fazer o mesmo que você sempre faz no seu país de origem?

Ignorar a cultura e os costumes locais

Em muitos países europeus, é considerado incrivelmente rude começar a falar com alguém antes de dizer “olá”. Alguns cidadãos podem também ficar muito desconfortáveis se você abraçá-los em vez de apertar sua mão.

Aprender sobre essas gafes (e evitá-las!) pode ser fundamental quando se trata de se adaptar em um país estrangeiro. Muitos desses costumes do país para onde você vai podem ser encontrados com uma simples pesquisa na internet. Se você preferir, pode pedir conselhos para amigos ou professores.

Não conciliar os estudos com a imersão cultural

Os intercâmbios geralmente integram as lições da sala de aula com aplicações na vida real da cidade em que você está. Isso varia, por exemplo, entre literatura, teatro e cinema, e pode ajudá-lo(a) a vivenciar a cidade do ponto de vista cultural e histórico. Ou seja, a experiência de estudar na Europa tem que ir muito além dos estudos em si. 

É por isso que, enquanto você estiver por lá, não deixe as tarefas te sobrecarreguem ao ponto de você não ter chance de experimentar a cidade ao seu redor. Passear e interagir com os moradores locais pode, às vezes, ser a melhor experiência de aprendizado que existe.

Agora que você já sabe desses erros, pode começar se preparar para realizar o sonho de estudar na Europa. E o melhor: sem medo! A nossa mentoria especializada pode te ajudar com isso. Faça agora mesmo o seu teste de perfil clicando aqui e junte-se ao nosso time de mentorados!  

 


Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), é embaixador da Youth Assembly no Brasil, recebeu proposta da NASA e é ex-fellow de HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar sua oportunidade no exterior.