Você tem vontade de fazer graduação, mestrado, doutorado, PhD ou pós-doutorado fora do Brasil? Então provavelmente já sabe que você terá que fazer algumas provas. Mas você tem realmente noção do que é necessário para conseguir uma bolsa lá fora? Para te ajudar a ter uma ideia mais clara do processo como um todo, montamos um checklist dos documentos para estudar fora do Brasil que você deverá providenciar.

Diferenças do processo seletivo das universidades brasileiras e estrangeiras

Quando o assunto é faculdade fora do Brasil, a primeira coisa que você precisa ter em mente é que eles têm um modelo de avaliação totalmente diferente do brasileiro. No Brasil você é avaliado por uma prova como o ENEM ou o Vestibular. Se no dia do ENEM, por exemplo, você tiver se sentindo mal e não conseguir fazer a prova, já era! Vai ter que esperar outros 12 meses para tentar mais uma chance no ano seguinte.

Já quando a gente fala de aplicações internacionais, principalmente nos Estados Unidos e Canadá, é tudo bem diferente. Eles têm um processo conhecido como holístico. Ou seja, é um processo em que os avaliadores vão fazer questão de considerar todos os pontos da sua vida.  Por exemplo, no Brasil você passa o Ensino Fundamental e Ensino Médio inteiro tirando notas boas, mas isso não importa de nada na hora de entrar na faculdade. O que conta é uma prova de algumas horas que servirá para avaliar toda sua vida escolar.

Sua história de vida importa!

Lá fora é exatamente o contrário! Eles vão sim avaliar toda sua história, não importa se o seu interesse é em uma graduação, no mestrado ou no doutorado. Para você entender melhor sobre isso, vamos fazer uma simulação. Imagine que você precise de 100 pontos para conseguir entrar em uma faculdade, seja aqui no Brasil ou lá fora. Por aqui, esses 100 pontos seriam o seu ENEM ou Vestibular.  E apenas isso!

Já nos Estados Unidos, esses mesmos 100 pontos são divididos em várias coisas. Sendo que suas notas do Ensino Médio ou da Graduação (se tiver aplicando para um nível mais acima) vão representar cerca de 10 dos 100 pontos. Outros 30 pontos serão os exames de conhecimento. Se você vai aplicar para uma faculdade você precisa fazer o SAT ou ACT. Já se você vai aplicar para o mestrado ou para um doutorado, geralmente é cobrado o GMAT ou o GRE.

Cada faculdade ou programa têm legislações e editais diferentes, então não dá para afirmar que será pedida essa ou aquela prova. Isso varia muito  e você precisa ficar atento(a) aos sites da faculdade e curso que você irá aplicar. As vezes um curso específico pode pedir mais provas do que outro. Mas, de modo geral,  são essas: para a faculdade o SAT ou ACT, que vão comprovar o seu conhecimento em Inglês, Matemática e Ciências (no caso do ACT). E, para o pessoal que tá correndo atrás do mestrado/doutorado, o GMAT ou GRE.

Mas e se eu mandei mal no Ensino Médio/Graduação?

Até agora já temo 40 pontos: 30 de provas e 10 de notas. Se você foi mal no seu Ensino Médio ou na sua faculdade e mesmo assim sonha com uma oportunidade em uma faculdade top de linha, mandar muito bem nessas provas é o que você precisa para provar pra galera que você é foda. Então se você não foi muito bem na escola ou na faculdade, arrebenta nessas provas pra balancear a sua avaliação. Dessa forma, você irá mostrar que mesmo não dando tanta atenção aos estudos nessa fase da sua vida, você está sim preparado para entrar numa faculdade de ponta.

Inglês afiado

Outros 20 pontos vão ser as suas provas de proficiência em inglês, um requisito de qualquer faculdade em qualquer lugar do mundo que tenha aulas em inglês: Canadá, Estados Unidos, Irlanda, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia

A prova de proficiência em inglês pode ser o TOEFL ou  o IELTS. Existem outras mas essas duas são as principais, válidas em 99,9% dos casos. As outras são mais específicas e algumas faculdades podem não aceitar. Então na prática o mais sensato é fazer o TOEFL ou o IELTS. Em comum, essas duas provas vão analisar quatro habilidades em inglês: leitura, fala, escrita e compreensão auditiva. Até aqui já chegamos nos 60 pontos.

Documentos para estudar fora do Brasil: Muito além de números!

Os outros 40 pontos são o diferencial que pode dar brilho e força à sua aplicação caso você não tenha essa parte técnica e de conhecimento tão forte. É aí que entra a sua história de vida e suas habilidades. Atenção: essa parte é  muito importante. É sempre uma balança: conhecimento versus história pessoal/conquistas/habilidades/qualidades.

Mas como comprovar essas habilidades nesses 40 pontos? Através das suas Essays, que nada mais são que as redações que você vai precisar escrever.  Também conhecidas como Personal Statements, Personal Letters ou Letters of Motivation, essas redações representam o momento que você terá para deixar bem claro quem você é, por que você é foda e por quais razões você deve ser escolhido entre tantos outros candidatos.

Nesse caso, a opinião dos outros importa…

É para comprovar  e validar essas Essays que existe a carta de recomendação, em que geralmente dois ou três professores vão falar sobre você. Essa carta serve exatamente para ter um ponto de vista diferente. Ou seja, não será apenas você falando sobre você mesmo. É quase um sistema antifraude,  porque essas pessoas irão confirmar se o que você escreveu nos Essays faz sentido e que as suas habilidades são reais.

Com tudo isso em mãos você consegue fazer o seu Application. E, depois de todo o processo de juntar toda essa documentação e enviar para as faculdades que você deseja estudar, começa a próxima jornada: procurar uma bolsa de estudos!Se você for esperto, já começou essa procura meses, às vezes até mesmo anos antes de fazer a sua aplicação. Mas se você está lendo esse texto agora e ainda não viu nada sobre esse assunto, não tem problema que ainda dá tempo!

Voltando aos documentos… Depois da aplicação e de correr atrás da bolsa de estudos que mais combina com o seu perfil, vem a parte final da documentação, que é o passaporte e o visto do país de destino.

Checklist: documentos para estudar fora do Brasil

 Então, revisando, esses  são os documentos para estudar fora do Brasil que você deverá providenciar:

  1. Histórico escolar;
  2. Prova de conhecimento;
  3. Prova de proficiência em inglês.
  4. Essays;
  5. Cartas de recomendação dos seus professores
  6. Bolsas de estudos;
  7. Passaporte e visto.

Quer se preparar para conquistar sua vaga no exterior? Então procure o apoio da nossa mentoria especializada. Faça agora mesmo o seu teste de perfil clicando aqui e junte-se ao nosso time de mentorados!  


Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), é embaixador da Youth Assembly no Brasil, recebeu proposta da NASA e é ex-fellow de HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar sua oportunidade no exterior.

+100 aulas sobre intercâmbios por apenas 99 centavos
+100 aulas sobre intercâmbios por apenas 99 centavos