A Universidade de Princeton é uma das melhores instituições de ensino não só dos EUA (onde ocupa o 6º lugar), como do mundo todo. Só para ilustrar, ela ocupa a 13ª posição na tabela geral do QS World University Rankings 2020. Mas apesar dessa boa reputação, ela não é tão conhecida quanto as suas colegas da Ivy League. Por isso separamos algumas informações que vão te deixar por dentro dessa instituição! 

Uma das universidades mais antigas dos EUA

A Universidade de Princeton foi fundada ainda em 1746 por uma vertente da igreja presbiteriana dos EUA, sob o nome de College of New Jersey. O objetivo, inicialmente, era formar ministros para atuarem nos templos. No entanto, a mudança para a educação secular, sem ligação com a igreja, aconteceu durante a administração de John Whiterspoon, entre 1768 e 1794.

Em 1896, a faculdade mudou oficialmente seu nome de College of New Jersey para Princeton University, com o intuito de homenagear a cidade sede. Durante este ano, a faculdade também passou por uma grande expansão e se tornou oficialmente uma universidade.

Universidade de Princeton: TOP 6 nos EUA 1

Apenas em 1969 a universidade começou a aceitar mulheres no corpo estudantil. Apesar dessa demora, em 1887, Princeton mantinha uma instituição separada para alunas, chamada de Evelyn College for Women. Essa faculdade, no entanto, foi fechada após uma década de funcionamento.

Em 2017, a Universidade de Princeton divulgou uma investigação sobre seu envolvimento histórico com a escravidão nos EUA. Essa pesquisa aconteceu após estudos produzidos por outras instituições de ensino superior, como a Brown University e a Georgetown University. Em abril de 2018, os curadores da Universidade anunciaram que nomeariam dois espaços públicos como “James Collins Johnson” e “Betsey Stockton”. Esse ato é uma homenagem a dois escravizados que viviam e trabalhavam no campus de Princeton e cujas histórias foram divulgadas pela investigação de 2017.

Uma universidade do tamanho da sua reputação

Com o passar dos anos, a Universidade de Princeton foi se desenvolvendo, até se tornar uma das melhores do país. Até hoje, 65 ganhadores do Nobel, 15 medalhistas Fields e 13 ganhadores do prêmio Turing foram afiliados à instituição como ex-alunos, professores ou pesquisadores. 

Aliás, alguns dos principais ex-alunos da instituição incluem a ex-primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, os ex-presidentes norte-americanos James Madison e Woodrow Wilson, e o vice-presidente Aaron Burr. Além disso, doze juízes da Suprema Corte, diversos bilionários e chefes de estado se formaram por lá. 

Universidade de Princeton: TOP 6 nos EUA 2

A estrutura da Universidade de Princeton

O campus principal da universidade ocupa cerca de 2000 m² na cidade de mesmo nome. O primeiro prédio construído foi o Nassau Hall. A partir daí, as outras instalações foram sendo erguidas ao redor do edifício principal. Os principais estilos arquitetônicos desses prédios são o Alto Vitoriano Gótico e o Renascentista Romano. A estrutura total da universidade inclui alojamentos estudantis, bibliotecas, prédios de aulas, um teatro, um museu de arte e uma capela.

Ao todo, são mais de 8200 estudantes em Princeton. Desses, cerca de 5250 são alunos de graduação e quase 3 mil fazem parte dos programas de pós-graduação. Desses alunos, 61% recebem algum tipo de auxílio financeiro e 98% moram no próprio campus. O corpo docente, por sua vez, é representado por mais de 1200 professores. Sendo assim, a proporção de estudantes para professores é de 5 para 1.

Agora você está se imaginando estudando na Universidade de Princeton? Isso não precisa ficar só na sua cabeça! A nossa mentoria especializada pode te ajudar a realizar esse sonho. Faça agora mesmo o seu teste de perfil clicando aqui e junte-se ao nosso time de mentorados!  


Matheus Tomoto

Matheus Tomoto

Estudou em escola pública, aprendeu inglês sozinho em 3 meses, foi aceito nas 10 melhores faculdades dos Estados Unidos, trabalhou no MIT (melhor faculdade de tecnologia do mundo), é embaixador da Youth Assembly no Brasil, recebeu proposta da NASA e é ex-fellow de HARVARD. É escritor, palestrante e mentor de pessoas que desejam buscar sua oportunidade no exterior.