Você tem vontade de continuar seus estudos após a graduação mas tem medo que um mestrado não faça diferença no currículo? Para garantir que sua pós-graduação dê um bom retorno quando você chegar ao mercado de trabalho, você pode seguir estes 5 passos que listamos aqui. Tenha em mente, no entanto, que as nossas dicas podem variar e/ou não ser aplicáveis em todas as áreas!

Como garantir que o mestrado faça diferença no currículo?

1. Considere seus objetivos no mercado de trabalho

A primeira etapa é levar em consideração que tipo de função você está buscando. Você pode, então, pesquisar os requisitos listados em anúncios de emprego, as experiências de quem já está no cargo que você deseja ocupar e as habilidades que são solicitadas por empresas que você admira.

Para alguns setores ou funções — como aqueles que requerem conhecimento altamente especializado ou com um forte foco na pesquisa — um mestrado é (formal ou informalmente) visto como essencial. Em outros casos, você pode perceber que um mestrado simplesmente já se tornou a norma.

Se esse for o caso, para garantir que você obtenha um bom retorno dos seus estudos, você vai precisar encontrar maneiras de se diferenciar de outros candidatos que também tenham um mestrado. Isso pode significar escolher um programa de pós-graduação que se concentre em uma especialização em alta, por exemplo.

Por outro lado, você pode descobrir que sua “função-alvo” é totalmente alcançável sem um mestrado. Supondo que, no entanto, você ainda esteja interessado(a) em fazer um mestrado, você deve mostrar a diferença no currículo convencendo os empregadores em potencial do valor agregado que ele oferece — talvez negociando um salário inicial mais alto ou um conjunto de responsabilidades adicionais.

4-mestrado-diferença-no-curriculo
(Ricardo Arce/Unsplash)

2. Escolha um mestrado com atividades práticas

Uma das maneiras mais eficazes de garantir que seu mestrado faça diferença no currículo é escolher um programa que inclua experiência prática e profissional. Isso é o que mostra o relatório “Taught Postgraduate Employability and Employer Engagement: Masters with a Purpose”, de 2014, publicado pela Higher Education Careers Service Unit (HECSU) do Reino Unido.

O relatório observa que os empregadores estão significativamente mais propensos a ficarem impressionados com diplomas de pós-graduação que incorporam experiência relacionada ao trabalho — e que a qualificação de mestrado por si só não é suficiente para compensar a falta de experiência.

Vem crescendo o número de universidades em todo o mundo que reconhecem a importância de ajudar estudantes a ganhar experiência profissional. Como resultado, é cada vez mais comum encontrar estágios, projetos profissionais e outros elementos baseados na prática incorporados aos programas de mestrado. Se a área escolhida não se adequar tão bem a esse formato de curso, procure oportunidades externas para ganhar experiência relevante em trabalhos de meio período, voluntariado ou estágios.

3. Procure oportunidades de networking

O relatório da HECSU também destaca a importância das oportunidades nas quais os estudantes se relacionam com profissionais, por meio de iniciativas como palestras, eventos de networking e programas de mentoria. Além de ajudar os alunos a construir uma rede de conexões relevantes, também pode servir para contextualizar o conteúdo do curso, demonstrando como o material da sala de aula será aplicado.

Embora as oportunidades de se conectar com profissionais e possíveis empregadores sejam inestimáveis ​​— em alguns casos, até mesmo levando a ofertas diretas de emprego — essas não são de forma alguma as únicas vias de networking disponíveis. Na verdade, o ambiente de networking mais rico pode ser encontrado entre seus colegas de classe e a comunidade de ex-alunos da qual você vai fazer parte.

Ao escolher seu mestrado, busque se informar sobre as iniciativas de networking durante e após o curso. Pesquisar a vivência mais ampla no campus, incluindo associações estudantis, também pode te ajudar a ter uma ideia da comunidade da qual você vai fazer parte.

2-mestrado-diferença-no-curriculo
(Cytonn Photography/Unsplash)

4. Aproveite todas as chances de agregar valor

Tendo escolhido o seu mestrado, o próximo desafio é fazer jus a todas as oportunidades oferecidas — uma das maneiras mais eficazes de garantir que ele faça diferença no currículo. Afinal, poucas vezes na vida você terá a chance de experimentar tantas coisas novas, de forma tão conveniente e, muitas vezes, sem custo adicional. Além de toda a diversão, as habilidades adicionais e as experiências adquiridas podem ser o que irá te diferenciar no mercado de trabalho.

Aproveite a oportunidade para aprender um novo idioma ou praticar um que já saiba. Assuma uma posição de responsabilidade dentro de seu departamento ou em uma associação estudantil. Encontre estágios ou um trabalho de meio período. Participe de eventos organizados pelo serviço de carreiras da sua universidade.

Resumindo, se esforce para aprender e se desenvolver de todas as maneiras possíveis (sem, é claro, prejudicar seu desempenho acadêmico). Você pode descobrir uma nova paixão, revelar todo um novo conjunto de aptidões ou até mesmo encontrar um futuro parceiro de negócios. Quem sabe qual experiência, acontecimento ou novo conhecimento poderá acabar sendo aquele que irá mudar a sua vida?

1-mestrado-diferença-no-curriculo
(Van Tay Media/Unsplash)

5. Saiba “vender” suas habilidades

O último (mas não menos importante) dos seus desafios é convencer os empregadores do valor do seu mestrado. Não assuma que os recrutadores já sabem o que você aprendeu ou desenvolveu. Na verdade, o relatório da HECSU mostrou que muitos empregadores desconhecem os benefícios proporcionados pelo estudo de pós-graduação. Portanto, cabe aos próprios pós-graduados divulgá-los e garantir que eles façam diferença no currículo.

Em suma, com mestrado ou sem mestrado, suas perspectivas de emprego vão se resumir às suas próprias habilidades de marketing pessoal. Você precisa mostrar que é a melhor opção para a vaga em questão, utilizando exemplos concretos para demonstrar suas habilidades e sua experiência.

Esteja pronto(a) para falar sobre como as especializações e as disciplinas do curso que você concluiu te prepararam para esse trabalho. E mostre como fatores como experiência de trabalho e projetos extracurriculares te prepararam ainda mais.

Para concluir, o simples fato de ter um mestrado não garante melhores perspectivas de emprego ou um salário mais alto. Mas o conjunto de experiências, conhecimentos, habilidades e conexões que você adquire fazendo um mestrado deve te dar material mais do que suficiente para se jogar no mercado de trabalho!

Quer aprender mais sobre mestrado no exterior?

Então assista a esse vídeo com a nossa mentora, Ana Cruz:

Intercâmbio com a UDI

Agora que você já sabe como garantir que o seu mestrado faça diferença no currículo, que tal começar a buscar uma oportunidade internacional de pós-graduação? Para isso você pode contar com todo o suporte da nossa mentoria especializada! Clique aqui e faça agora mesmo o seu teste de perfil!


Lucas Almeida

Lucas Almeida

Mineiro, jornalista e mestrando em Comunicação. Entusiasta de idiomas, viagens e cibercultura. Tem o sonho de mudar o mundo, uma pauta de cada vez.